quarta-feira, 12 de novembro de 2014

CMAR: ELEIÇÃO DA PRÓXIMA MESA DIRETORA EM PAUTA


Dois nomes, em especial, disputam voto a voto a preferência dos vereadores. Carlinhos Santo Antonio e Marco Aurélio disputam - pela base governista a Presidência da Câmara de Angra/RJ. Só faltam ir à disputa de par ou ímpar pelo apoio do Governo.  O mandato é para o próximo biênio 2015/2016. 

Ambos os vereadores tem uma fatura política à apresentar, já que foram eleitos pelo mesmo partido - o PMDB, que, pela lógica local, devia se opor ao Governo, já que a maior liderança da legenda é o deputado federal eleito Fernando Jordão, ex adversi da prefeita. 

Ambos foram para o recém criado PROS - e se tornaram "aliados". A trajetória política de cada um se distingue entre eles, mas, por incrível que se pareça, ambos tem atuação empresarial e profissional mais voltada à construção civil. Experientes, nenhum dos dois é marinheiro de primeira viagem na Casa. 

Carlinho já foi presidente e Marco já foi secretário do Município. 

O próximo presidente administrará mais de R$ 60 milhões de duodécimo orçamentário (orçamento da Câmara, somados os dois anos).

As fotos acima reproduzem um alerta crítico que fiz sobre a comunicação de ambos em suas páginas nas redes sociais. Quem vencer será gestor de uma instituição que possui contratos, gastos, um canal de TV, enfim, precisa atuar com mais zelo pela transparência, com mais profissionalismo e cuidado em sua assessoria.

O Governo

A Prefeita Conceição Rabha tem peso num processo de escolha dessa natureza, como todo prefeito tem. Mas, não decidiu nem autorizou qualquer pessoa de seu staff a se intrometer -, em nome do Governo, no processo. Se isso estiver ocorrendo, é por iniciativa própria. Por hora, essa articulação está desautorizada.

À ela interessa diretamente essa sucessão, porque será o comando da Casa nos anos em que a eleição municipal será objeto de intensa discussão - e cobiça. Seus adversários não titubearão nos vacilos que ela e seu governo cometerem. E ela precisa errar o menos possível. É uma engenharia política - para todos os lados do balcão.

Esse tipo de disputa tem alterações até o momento da eleição. São raros os casos em que uma situação para a mesa Diretora fica decidida com certo tempo prévio da eleição - e mantém-se. 

O Presidente tem o poder de definição sobre a pauta, é quem nomeia os presidentes das Comissões, é quem autoriza a realização de audiências públicas; é quem tem a caneta para nomeação dos cargos - e  o Poder Legislativo angrense paga excelentes salários; é quem define as licitações, enfim, 

É alguém que reúne condições institucionais que lhe conferem muito poder. Pode ajudar como pode atrapalhar um Governo.

A sucessão está em jogo.
-
13h32min.     -     adelsonpimenta@ig.com.br

Nenhum comentário: